sábado, 18 de junho de 2011

Minha 8a participação no Congresso Brasileiro de BIOMECÂNICA.



Há 14 anos, participava do meu primeiro Congresso Brasileiro de Biomecânica, em Campinas (SP). Fui convidado pelo Prof. Dr. Alberto Carlos Amadio, até hoje, a maior referência desta Ciência no Brasil. 

Na época (1997), cursava o 4o ano do Curso de Educação Física na USP, e já estava me especializando em Fisiologia. Fazia iniciação científica no ICB-USP (Instituto de Ciências Biomédicas da USP), com os professores da Medicina. Havia conquistado esta vaga através de um Concurso, e passei a treinar ratos. Isso mesmo! Ratos WISTAR, aqueles branquinhos. Depois de 3 meses treinando os ratos em esteiras, minha missão era decapitar os pobrezinhos para retirar sua hipófise. Meu objeto de estudo era o efeito do hormônio de crescimento (GH) em indivíduos treinados. 

Mas o destino me preparava algo melhor: o Prof. Amadio (citado acima), chefe da disciplina Biomecânica, descobriu que um dos alunos do Curso de Educação Física era Professor de Tênis, e foi me buscar na Fisiologia. Ele precisou de apenas 5 minutos para me convencer que a Biomecânica seria a Ciência mais aplicável ao Tênis. A partir disso, o primeiro passo foi familiarizar-me com a nova área. Logo no segundo mês de estudos, participei como ouvinte do VII Congresso Brasileiro de Biomecânica. Este Congresso ocorre de 2 em 2 anos. Foi paixão instantânea. E desde então participei de todas as edições, inclusive a última, semana passada, na Escola de Medicina da USP, em Ribeirão Preto (SP). Gostaria de deixar registrado aqui, meu histórico de participações nesses Congressos. Me orgulho em ter participado de todos esses eventos científicos, pela oportunidade em estudar o Tênis e assim contribuir com esta maravilhosa Ciência que estuda o movimento do corpo humano: 

 VII CBB - Campinas (SP) - 1997
Participação: Congressista

 VIII CBB - Florianópolis (SC) - 1999
Participação: Apresentação de Trabalho

IX CBB - Gramado (RS) - 2001

Participação: Apresentação de Trabalho


 X CBB - Ouro Preto (MG) - 2003
Participação: Apresentação de Trabalho

  XI CBB - João Pessoa (PB) - 2005
Participação: Apresentação de Trabalho

 XII CBB - São Pedro (SP) - 2007
Participação: Apresentação de Trabalho

  XIII CBB - São Paulo (SP) - 2009
Participação: Apresentação de Trabalho e Coordenador da Sessão de Painéis

 XI CBB - Ribeirão Preto (SP) - 2011
Participação: Apresentação de Trabalho

Os Congressos representam ótimas oportunidades para atualização acadêmica específica, para conhecer novas pesquisas em sua área de atuação, e também para rever os amigos ou conhecer pessoalmente os pesquisadores com quem trocamos e-mails. Mas, o que me fascina como Pesquisador, é a possibilidade de produzir conhecimento. Depois que terminei o Doutorado, tive pouco tempo para me dedicar à pesquisa, mas ainda pretendo retomar esta atividade tão gratificante. 

Compartilho uma última foto, no XIV Congresso Brasileiro de Biomecânica, semana passada, na Escola de Medicina da USP, em Ribeirão Preto: antes da apresentação de meu trabalho, tive a honra de ser recepcionado pelo Prof. Dr. Valdir Barbanti, diretor da Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto - USP. O Prof. Barbanti foi meu professor na graduação e na pós-graduação, e é importante referência em Ciência do Treinamento Físico.


Abaixo, coloco à disposição o Resumo do trabalho que apresentei neste Congresso:

Clique para AMPLIAR


Forte Abraço a todos...


11 comentários:

  1. Parabéns Ludgero por mais um belo post, mostrando o quanto é importante o embasamento científico para atuação profissional.

    ResponderExcluir
  2. Meu caro amigo fico feliz pelo seu sucesso. Nao pude esta neste CBB, porem lembro de outros que tive a oportunidade de compartilhar da sua companhia. Parabens por esta fazendo e aplicando ciencia no esporte brasileiro. Abs do amigo Ewertton de Manaus

    ResponderExcluir
  3. Esse é o verdadeiro e ÚNICO DOUTOR e MESTRE em BIOMECÂNICA do Tênis!!! O resto é engodo!!!

    Gerusa

    ResponderExcluir
  4. Parabéns meu amigo, mandando muito bem como SEMPRE.
    Diego Vidal

    ResponderExcluir
  5. Daniel Saraiva Rosa19 de junho de 2011 19:50

    um exemplo pra eu seguir... estou no caminho!

    ResponderExcluir
  6. Acho que é isso que o tênis nacional precisa, embasamento científico, já que em outras modalidades como vôlei isso já vem sendo feito e rendendo frutos. Parabéns pelo trabalho e gande abraço.
    Rodrigo Carvalho

    ResponderExcluir
  7. Ainda bem que temos pessoas como você que buscam o aprimoramento do esporte e seus atletas.
    Novamente Parabéns Ludgero!
    Abs, Claudia (Near Comunicação)

    ResponderExcluir
  8. Ludgero,

    Quem te conhece e acompanha seus trabalhos não tem duvida de sua capacidade e merecido sucesso de quem não apenas faz, mas faz a diferença.
    Abraços
    Pedro Hamer

    ResponderExcluir
  9. Neto, temos o maior orgulho e admiração por você, parabéns! Abraços, Laurita e Marcelo Utrabo

    ResponderExcluir
  10. Neto ,dedicacao - sinonimo de sucesso

    parabens !

    bjos

    mara

    ResponderExcluir
  11. Ludgero, parabéns pelo excelente trabalho.

    Jogo tenis faz 10 anos e comecei tarde, com 40 anos. Pelos menos 4 anos fiquei aperfeiçoando meus golpes e movimentações. Nunca tive uma lesão, talvez sorte!!! Pode ser, mas aliado a exercício fisícos específicos para o tenis e um pouco de corrida ajudaram. Porém acredito mesmo é na biomecânica dos golpes, que me ajudaram bastante.

    Assisti uma reportagem sobre os saltos de um jogador de voley e um bailarino. O jogador de voley cai com a planta dos pés inteira, passando todo o impacto para os jolhos. O bailarino cai com as pontas dos pés (não sei o termo científico correto), depois o calcanhar e por último flexiona os joelhos.
    Imagine se não existisse o split step, o que seria do joelho de um tenista ?

    Continue acreditando.

    Abraço.

    Pércio Girão

    ResponderExcluir