quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Críticas e Posicionamentos...

     Poderia escrever o último post do ano desejando Boas Festas e um excelente 2011 para todos vocês. Porém, além disso, prefiro registrar algumas críticas e posicionar-me em relação ao Tênis Brasileiro.

  Poderia também contentar-me apenas com as conquistas Profissionais que obtive nos últimos 5 anos: treinei 10 tenistas infanto-juvenis entre os 10 melhores do Brasil, fui Treinador da melhor tenista profissional em 2006/2007, atuei como técnico em Torneios de Grand Slam, entre outras. Por outro lado, tenho a consciência de que o Tênis Brasileiro, em um universo macro, passa por um período de dificuldades. Penso que alguns fatores contribuem para este cenário: desentendimentos entre órgãos oficiais, perda de espaço físico para empreendimentos imobiliários nas grandes capitais, ausência de um ídolo, postura centralizadora e egocêntrica de grande parte dos Treinadores, falta de um Método de Ensino (Escola Brasileira de Tênis ?!?), entre outros fatores patológicos. Para equilibrar um pouco esta conta negativa, temos: surgimento de Thomaz Bellucci como Top 30, Cursos de Capacitação de Treinadores (criados por César Kist e Eduardo Eche), aumento dos Torneios Profissionais no Brasil, fomento da Lei do Incentivo ao Esporte, alguns Projetos Sociais, entre outros poucos acontecimentos.      

Após 20 anos de dedicação integral ao Tênis, permito-me colocar em discussão alguns fatos que, em menor ou maior grau, julgo contribuir para este estado de estagnação (“steady state”) que nosso Tênis atravessa.  

     Há poucos meses, Thomaz Bellucci foi execrado ao emitir sua opinião sobre os técnicos brasileiros. Talvez tenha se expressado mal, é fato. Logo no dia seguinte às notícias, recebi um e-mail do Bellucci, esclarecendo que sua crítica foi direcionada aos técnicos especializados em altíssimo rendimento, realmente raros aqui no Brasil. Na verdade, ele quis dizer que não tínhamos técnicos com capacidade de treinar um Top 30 e colocá-lo entre os 5 melhores do mundo. O que achei engraçado: muitos dos que criticaram, não fazem parte desta categoria de técnicos, trabalham com tenistas em formação. Só me restou concluir que a famosa “carapuça serviu”. E ainda... a maior prova de que Bellucci foi coerente: não temos filas de tenistas estrangeiros em busca de técnicos brasileiros.

Portanto, penso que devemos ser mais humildes e: estudar mais, participar de mais Cursos e Congressos, aprender novos métodos, viajar para ganhar experiência... Sendo assim, aqui vai meu recado para estes treinadores: se quiserem conquistar um lugar ao Sol sem estudar e trabalhar, mude de profissão!! 

Por fim, desejo que 2011 seja um ano onde o Tênis Brasileiro receba mais benefícios para equilibrar esta “conta”, e assim conquiste um lugar de maior destaque no cenário mundial. E para isso, espero que continuemos promovendo Torneios, que novos técnicos surjam com formação acadêmica e disposição, que os órgãos competentes executem suas funções, etc...

Para quem se sentiu ofendido, também sinta-se à vontade para me escrever: ludgerobraga@hotmail.com

Boas Festas e um 2011 de muito SUCESSO para todos vocês !!!

15 comentários:

  1. Grande Ludgero, acho que no Brasil temos treinadores capazes de fazer isso sim. Realmente não são muitos, mas acho que o maior impedimento para isso é largar uma estrutura e tentar segir nesse meio, porque pode não dar certo e com isso muitos ficariam sem o que tinham e sem o que tentaram ter. Nào sei se eu aceitaria um convite para treinar um tenista top, acho que aceitaria um convite para fazer parte de uma academia que treinasse vários tenistas assim, pois você poderia trabalhar sem se preocupar em ficar desempregado. Nesse mundo muitos treinadores não se dão bem, um quer derrubar o outro, e assim fica difícil colocar tudo a perder porque abutres não faltarão. Não sei se em SP é assim, mas no RJ é assim que funciona,infelizmente. Abraços e bom 2011

    Diego

    ResponderExcluir
  2. Acredito que num futuro próximo esses profissionais vêm a aparecer, tanto técnico qto preparador físico capacitado!!! Cada vez mais os estudos direcionados ao tênis vêm aumentando e nós temos que valorizar isso, e estudar mais e mais!!!
    E só complementando o que vc disse, qdo se quer ter sucesso profissional, não é só a profissão de treinador que tem estudar, e sim qq profissão...
    Ótimo Natal, e um ano novo cheio de conquistas para o tênis brasileiro!!!

    ResponderExcluir
  3. Caro Ludgero, aguardava seu comentario sobre o desabafo do Belluci e, mais uma vez, voce demonstrou seu carater, oferecendo caminhos e solucoes - um grande exemplo de lucidez e humildade!!! Tambem nao usou seu vitorioso passado para atacar quem que que seja!! Voce e um grande exemplo. Tenha um Feliz Natal, com sua esposa e familia....Viva Sao Carlos!!
    Abracos, Elyseu Mardegan

    ResponderExcluir
  4. Caro professor Ludgero,esta situação revela a falta de ética profissional, no meio jurídico que deveria ser levado como regra a ètica acontece também. Na minha opinião é comparada a sua, sou completamente a este entendimento. Não é da minha área profissional, mas estudo tênis, procuro informações de quem conhece a técnica da prática do esporte. Estou certo que a didática faz a diferença nas aulas e o profissional qualificado tem responsabilidade de passar ao atleta. Quero desejar um Feliz Natal e um ano de muitas realizações. Forte abraço, José Chede Neto

    ResponderExcluir
  5. Grande Neto,
    Já escrevi em comentários, coisas parecidas em alguns blogs de tênis. Penso da mesma maneira que vc. Acho que falta uma sintonia entre os treinadores, acho que falta uma filosofia ao nosso tênis. E isso deve partir do órgão máximo do nosso esporte a CBT. Como vc disse, alguns passos estão sendo dados,mas penso que podemos mais. Acho que um centro de treinamento nacional seria o primeiro passo para isso aconteceer.
    Vamos esperar.
    Feliz natal e um 2011 com mais conquistas.
    Seu amigo da velha guarda,
    Rodrigo Carvalho

    ResponderExcluir
  6. Eae Netão, concordo com a sua perspectiva sobre o tenis atual no Brasil, mas tambem acredito que precisamos de um impulso maior para conseguirmos realmente voltar a fazer parte do cenário mundial. Impulso que acredito que deve vir dos proprios profissionais da area, mas tambem do nosso governo, este de fato essencial para conseguirmos chegar a tal objetivo. Nos anos porvindouros espero que isso acabe se concretizando para que eu posso exercer com melhor estrutura a minha verdadeira paixão
    Abraços e Feliz Natal, Luiz Nemeth

    ResponderExcluir
  7. Olá meu amigo Ludgero, primeiramente desejo que o ano de 2011 seja mais especial do que já foi 2010.
    Parabéns por mais um post EXCELENTE.

    BELLUCCI: quando li a declaração de Bellucci achei muito estranho o que ele falou, porém depois notei sobre o qual especificamente ele estava falando, é tive que concordar. Escrevi dois dias depois no tenisnews sobre o que ele tinha falado e concordei plenamente com ele, recebi diversos emails com criticas de inúmeros treinadores sobre a minha posição, porém a grande verdade é o que ele falou; não temos muitos treinadores que possam fazer ele evoluir mais que já tinha evoluído, que foi MUITO. Minha aposta para treinador dele erra vc, como tinha lhe falado. Porém tenho certeza que ele está em boas mãos com o Larri, alguém que têm um prestigio e conhecimento enorme, prestigio esse muito maior na EUROPA do que no Brasil, infelizmente.

    CBT: gostaria de aproveitar seu espaço para parabenizar a CBT que todos reclamam, reclamam e reclamam, parabenizar pelo grande esforço que ela têm feito, e muitos de nos não observamos, parabenizar pela criação do departamento de capacitação(que já têm alguns anos),que muitos professores nem sabem que existe, pelo grande numero de cursos que realizou, parabenizar o Cesar Kist pelo grande esforço que vem fazendo para que o tenis no Brasil melhore. Parabenizar tbm a federação de meu estado(RJ) que pela primeira fez na historia realizou cursos de treinadores em nivel Nacional,(duas vezes). Parabenizar pelos 22 torneios juvenis realizados, alguns de nível G2 em meu estado. Dizer que hoje o Rio de Janeiro têm a EQUIPE RIO, que têm 8 atletas juvenis patrocinados, patrocínio esse que veio de uma ação isolada do professor ALMIR.

    Treinadores: muitos reclamaram do que o Bellucci falou, mas infelizmente ele está correto, não buscamos informação suficiente, não nos ajudamos e somos unidos para crescermos, não fazemos a quantidade de pesquisa que precisamos, e me incluo nisso. Sei que muitos ficaram chateados quando escrevi no tenisnews que o que ele tinha falado estava, é está correto(minha opinião), mas vamos ter humildade de ver que não temos a capacidade de treinarmos um jogador do nível dele,pelo menos 99,9 por cento de nos, e sim agradecer de termos um jogador do nível dele num pais onde NOSSSS não fazemos o suficiente.
    Aos amigos e outros que me criticaram quando declarei isto no site, que participem dos cursos para que num futuro realmente tenham capacidade de treinar ou levar alguém a esse nível, o que seria ótimo, pois os mesmos que sempre criticam tudo, não fazem NADA, nunca os vejo nos cursos, e posso falar que não os vejo pois vou a todos.

    DIEGO VIDAL

    ResponderExcluir
  8. parabens pela sua competencia,e que o tenis brasileiro possa crescer um pouco mais em 2011
    abraços
    cicero silva

    ResponderExcluir
  9. Neto,feliz natal e ano novo.O Lucas esta super motivado para treinar em 2011.
    Ainda bem que o Larri vai treinar o Belucci e nao vc,quem iria preparar os nossos garotos para o futuro.Forte abracos.
    Ilson e Lucas Dionisio.

    ResponderExcluir
  10. Rosita...
    Querido Neto...
    Venho acompanhando todo seu progresso ao longo desses anos... e vc... pode sim ainda ser este tecnico que o brasil tanto precisa...
    E quanto ao comentario do do Bellucci ele tem razão em partes... é muito dificil treinar os tenista juvenis nos dias de hoje... pois o pouco que eles ja sabem se colocam numa postura como se ja fossem o maxímo e o Bellucci não deixa de ser igual... quem é que vai conseguir treinar um cara que é o numero 30 do mundo que aqui dentro do nosso país se coloca como o numero... por favor... o problema não estão só nos tecnicos e sim em vcs jogadores também... abaixe a bola e vamos treinar mais, vamos parar de querer jogar só para se exibir mostrar seus golpes fortes e bonito faça a diferença vcs mesmo não tenham medo do amais... aprenda a gostar das dores extras que aparecem... vão em frente... parem de criticar e treine mais... com ou sem o melhor tecnico... abraços... Rosita

    ResponderExcluir
  11. Olá Ludgero,
    Quanto mais estudamos, apenas tomamos consciência de que nada sabemos...Bellucci tem razão,mas graças a Deus este quadro está mudando.
    Quando comecei a dar aulas eu e mais dois gatos pingados tinhamos formação em Educação Física (nos idos de 1985). O Curso Superior em Esporte nem existia...
    Creio que temos feito mais avanços do que retrocessos. Vamos em frente! Estudo, prática, estudo, prática, estudo...processo infinito de aperfeiçoamento.
    Feliz 2011 com muito trabalho!
    Suzana Silva

    ResponderExcluir
  12. Olá Ludgero, parabéns pela sua iniciativa em desabafar. O pouco tempo que te conheço, você me ajudou muito. O que precisamos é trocar mais informações entre nós treinadores, como é feito em outros países. Gostaria de desejar um feliz 2011 e sucesso.
    Ricardo Coelho

    ResponderExcluir
  13. Eu fui tenista juvenil ranqueado na federacao e na confederacao brasileira de tenis. Eu concordo no que foi escrito: os tecnicos brasileiros nao sao qualificados para treinar e desenvolver um bom juvenil do comeco ao fim. O meu jogo tinha chegado a um certo ponto que pra subir de nivel precisava algo mais que 99% dos tecnicos em clubes e academias nao possuem: ATP. O meu jogo saltou quando eu peguei um treinador de primeira que jogou ATP e sabia do que precisava pra eu chegar la mentalmente e fisicamnete. Isso faz uma diferenca enorme! Sao poucos no Brasil que conhecem. O pessoal no Brasil gosta de se exibir que ganhou um challenger aqui ou um torneio la, no qual na verdade nunca teve a chanc de jogar contra um top 50 ou top 100 da ATP. Vou um pouco alem: ganhou de um top 100 ATP! Os que ganharam conhecem tenis: Marcelo Abreu (jarrao), kyriakos, Saliola, etc...esses sabem o que precisam e estiveram entre os melhores e ganharam dos melhores. Joga um ggrupo serio na maos desses caras e eu garanto que sai jogador bom dali!

    ResponderExcluir
  14. Boa, Ludgero!

    Abraços e feliz 2011!

    Paulo Bittar

    ResponderExcluir
  15. Excelente o seu último comentário do ano. Parabéns.
    Esse tipo de auto análise é muito importante no tênis e qualquer profissão.
    O importante é não ter medo de encarar a realidade, e buscar soluções.
    É isso que diferencia os grandes profissionais, em vez de ficar conjecturando, vai a luta.
    A primeira coisa é a simplicidade e a objetividade. O cara para ser bom tem que ser simples e objetivo.

    Um abraço e tudo de bom para o próximo ano.

    Wilson Kakuta

    ResponderExcluir